[Página da IACM]


Boletim da IACM de 22. Junho 2015

Ciência/Humanos: O CBD melhorou os resultados terapêuticos após transplante de células estaminais do sangue

Num estudo aberto, o CBD melhorou o resultado terapêutico de 48 pacientes adultos submetidos a transplante de células-mãe do sangue (ou: transplante de células hematopoiéticas). "A combinação do CBD com a profilaxia padrão da DECH [Doença do Enxerto contra Hospedeiro] é uma estratégia segura e promissora para reduzir a incidência de DECH aguda", escreveram os investigadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, na revista Biology of Blood and Marrow Transplantation. O CBD numa dose diária de 300 mg foi administrado por via oral, começando 7 dias antes do transplante e continuando até ao dia 30.

Trinta e oito pacientes (79%) tinham leucemia aguda ou síndromes mielodisplásicos. O acompanhamento médio foi de 16 meses. O CBD foi, geralmente, bem tolerado. Nenhum dos doentes desenvolveu DECH aguda enquanto tomava CBD. Os investigadores descobriram que as taxas de incidência de DECH aguda de grau 2-4, 100 dias após o transplante, foram de 12,1%. Em comparação com 101 sujeitos de controlo aos quais foi dada a profilaxia padrão da DECH, o risco de desenvolver DECH aguda de grau 2-4 entre os sujeitos tratados com CBD combinado com a profilaxia padrão da DECH foi reduzido para 30%. Os autores escreveram que “se justifica um estudo randomizado duplo-cego controlado”

Yeshurun M, Shpilberg O, Herscovici C, Shargian L, Dreyer J, Peck A, Israeli M, Levy-Assaraf M, Gruenewald T, Mechoulam R, Raanani P, Ram R. Cannabidiol for the Prevention of Graft-Versus-Host-Disease after Allogeneic Hematopoietic Cell Transplantation: Results of a Phase II Study. Biol Blood Marrow Transplant. 29 de maio de 2015. [na imprensa]

Canada: Cannabis medicinal legal sob todas as formas, decide o Supremo Tribunal

Os pacientes que tomam cannabis medicinal vão passar, de agora em diante, a poder ingerir cannabis – e não apenas a fumá-la – e a usar outros outros extratos e derivados, decidiu o Supremo Tribunal do Canadá a 11 de junho. A decisão unânime contra o governo federal expande a definição de cannabis medicinal para além da forma “seca”. O tribunal de última instância do país entendeu que a atual restrição à utilização apenas de cannabis seca viola o direito à liberdade e segurança “de um modo que é arbitrário e, portanto, não está de acordo com os princípios de justiça fundamental”.

A restrição do acesso à cannabis medicinal a uma forma seca foi agora declarada "nula e sem efeito". O governo federal não está satisfeito. "Francamente, estou indignado com o Supremo Tribunal", disse a ministra da Saúde, Rona Ambrose. “Lembremo-nos, só há uma autoridade no Canadá com autoridade e experiência para fazer de uma droga um medicamento, e essa autoridade é a Health Canada", afirmou a ministra durante uma conferência de imprensa. "A cannabis não passou pelo processo de aprovação regulamentar da Health Canada, que, naturalmente, requer uma revisão de segurança rigorosa e ensaios clínicos com evidências científicas".

CBC News de 11 de junho de 2015

Notícias

França: Conferência sobre a cannabis como medicina
A terceira conferência internacional sobre a cannabis medicinal será realizada na Faculdade de Medicina de Estrasburgo, em França, a 22 de Outubro de 2015. A conferência reúne especialistas do sector e investigadores, profissionais de saúde e pacientes, para discutir o desenvolvimento da cannabis medicinal na EURopa e América do Norte.
site

Ciência/Humanos: Consumo de cannabis pode prevenir parasitas do intestino
Os investigadores estudaram a correlação entre o consumo de cannabis e infecção por helmintos, que são parasitas no intestino, no Aka, uma população de forrageiros da Bacia do Congo. 67,7% dos homens consumiam cannabis e "os níveis de THCA foram negativamente correlacionados com a infeção e reinfeção por parasitas, apoiando a hipótese de auto-medicação", escreveram os autores.
Departamento de Antropologia, Universidade do Estado de Washington, Vancouver, EUA.
Roulette CJ, et al. Am J Hum Biol. 29 de maio de 2015. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Sucesso no tratamento de acalasia com cannabis
Investigadores relataram o caso de um paciente diagnosticado com acalasia resistente ao tratamento. Ele começou a consumir cannabis aos 20 anos e identificou benefícios quanto aos sintomas da acalasia. Ele manteve um consumo regular e moderado de cannabis durante 9 anos, com inconveniência digestiva mínima. A acalasia do esófago é uma dificuldade dos músculos em relaxar, o que pode causar graves dificuldades em engolir.
Hôpital Paul Brousse-Addictologie, Villejuif, França.
Luquiens A, et al. World J Gastroenterol 2015;21(20):6381-3.

Ciência/Humanos: Estudo mostra que muitos pacientes com EM usam cannabis para fins medicinais
De acordo com um estudo levado a cabo pelo do Comité Norte-Americano de Pesquisa em Esclerose Múltipla (NARCOMS) entre os seus 12.260 participantes activos, dos 5.665 entrevistados 16% são actualmente consumidores de cannabis. Aqueles que actualmente têm maior deficiência e aqueles que relataram doença reincidente activa ou progressiva revelaram-se mais propensos a consumir cannabis.
Bioestatística da Universidade de Alabama em Birmingham, EUA.
Stacey S, et al. abstract of the 2015 Annual Meeting of the Consortium of Multiple Sclerosis Centers, 27-30 de maio de 2015, Indianapolis, EUA.

Ciência/Animais: O CBD reduz a toxicidade da cocaína
Em estudos com ratos, o canabidiol (CBD) numa dose de 30 mg/kg de peso corporal reduziu a inflamação hepática aguda e os danos induzidos pela cocaína e impediu as convulsões associadas.
Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.
Vilela LR, et al. Mediators Inflamm 2015;2015:523418.

Ciência/Animais: O THC pode reduzir a rejeição de transplantes
Em estudos com ratos, o THC revelou-se capaz de reduzir a DECH [Doença do Enxerto contra Hospedeiro], ou a rejeição do órgão ou tecido transplantado pelo sistema imune, e este efeito foi mediado pela activação do receptor de CB1. Os autores concluíram que "a focalização nos receptores de canabinóides pode fornecer uma nova modalidade de tratamento para atenuar a DECH e evitar a rejeição do enxerto."
Departamento de Patologia, Microbiologia e Imunologia, Universidade da Carolina do Sul, Faculdade de Medicina, Columbia, EUA.
Sido JM, et al. J Leukoc Biol. 2015 Jun 1. [na imprensa]

Europa: A Agência de Medicamentos da UE não prevê legalizar a cannabis como os EUA
É improvável que os países da União EURopeia legalizem a cannabis em breve, como fizeram recentemente alguns estados dos Estados Unidos, disse o director da agência que monitoriza os medicamentos na UE, Wolfgang Gotz. Numa entrevista a propósito da apresentação do relatório do Observatório EURopeu para Monitorização das Drogas e Dependência de Drogas, Wolfgang Gotz afirmou: “Na EURopa, não sei de qualquer governo, ou maioria parlamentar por trás de um governo, que esteja a discutir seriamente a legalização da cannabis ou uma regulamentação diferente”.
Reuters de 4 de junho de 2015

Ciência: 10 medicamentos baseados em cannabis
A ProCon criou no seu site uma lista com uma amostra de produtos farmacêuticos que influenciam o sistema endocanabinóide, incluindo o Sativex, dronabinol, nabilone, cannabinor e rimonabant - a maioria dos quais não são, ou deixaram de ser, aprovados para uso médico.
Lista de medicamentos

EUA/Reino Unido: GW Pharmaceuticals inicia segundo estudo de fase 3 do CBD no Sindroma de Lenox-Gastaut
A empresa britânica GW Pharmaceuticals anunciou que deu início ao segundo de dois ensaios clínicos de Fase 3 de Epidiolex (cannabidiol ou CBD) para o tratamento da síndrome de Lennox-Gastaut (SLG), uma forma rara e grave de epilepsia de início na infância.
Comunicado de imprensa da GW Pharmaceuticals de 11 de junho de 2015

Ciência/Animais: Mudanças rítmicas das concentrações de endocanabinóides na glândula pineal
O endocanabinóide anandamida (AEA) mostrou mudanças rítmicas na glândula pineal de ratos, com níveis mais elevados durante o período de luz e quantidades reduzidas no início da escuridão. A glândula pineal é de grande importância para o ritmo dia/noite.
Institut für Anatomie II, Johann Wolfgang Goethe-Universität, Frankfurt am Main, Alemanha.
Koch M, et al. Chronobiol Int. 10 de junho de 2015:1-6. [na imprensa]

Ciência/Animais: A activação do receptor CB2 reduz danos cerebrais após um AVC
Num estudo com ratos, um agonista sintético selectivo do receptor canabinóide tipo 2 (O-1966) reduziu os volumes de enfarte, enfraquecimento da memória e os déficits de aprendizagem.
Centro de Investigação de Abuso de Substâncias, Faculdade de Medicina da Universidade de Temple, Filadélfia, EUA.
Ronca RD, et al. Life Sci. 30 de maio de 2015. [na imprensa]

Ciência/Animais: A combinação de THC, CBD e CBDA agiu em sinergia na redução vómitos
Num estudo com musaranhos almíscarados (suncus murinus), uma combinação de THC, CBD e CBD ácido (CBDA) suprimiu os vómitos de forma mais eficaz do que cada uma das substâncias isoladamente.
Departamento de Psicologia da Universidade de Guelph, Canadá.
Rock EM, et al. Behav Neurosci 2015;129(3):368-70.

Relembrando o passado

Um ano atrás

Dois anos atrás

[Voltar à visão geral]  [Página da IACM]


up

Conferências

The Cannabinoid Conference 2017 of the IACM, 29-30 September 2017, Cologne, Alemanha.

IACM on Twitter

Follow us on twitter @IACM_Bulletin where you can send us inquiries and receive updates on research studies and news articles.