[Página da IACM]


Boletim da IACM de 18. Julho 2014

EUA: Nova Iorque tornar-se-á no 23.º estado a legalizar o uso medicinal de cannabis.

A 20 de junho último, legisladores do estado de Nova York concluíram o projeto lei que permitirá acesso limitado à utilização, no estado de Nova Iorque, de cannabis para usos medicinais. Este estado junta-se, assim, a outros 22 Estados onde já foi legalizada a cannabis para fins terapêuticos. Espera-se a assinatura do governador Andrew Cuomo para que este projeto lei se converta em legislação.

Sob o controle estrito do estado de Nova York, o departamento de saúde atribuirá licença a cinco empresas privadas, locais, para produção e distribuição de produtos de cannabis medicinal através de estabelecimentos próprios. Aos pacientes não será permitido a inalação do fumo de cannabis, mas podem comprar consumíveis para toma oral ou outras formas não-fumáveis da droga. Os pacientes maiores de 21 anos, que padeçam de qualquer uma das doenças especificadas na lista contemplada pelo projeto lei - epilepsia, esclerose múltipla, doença de Lou Gehrig, doença de Parkinson, doença de Huntington, neuropatias, lesões na coluna vertebral, cancro e HIV/SIDA - serão elegíveis para usar a cannabis como tratamento paliativo. O departamento de saúde manterá sob seu critério a aprovação de outras "doenças graves" cujos pacientes poderão vir a beneficiar do uso desta droga, consoante necessário.

Reuters of 21 June 2014.

Ciência/Humanos: Estudo clínico confirma os benefícios do THC em casos de stress pós-traumático.

O THC provoca melhorias significativas em casos de desordem causados por stress pós-traumático (TEPT). Este é o resultado de um estudo aberto realizado, com 10 pacientes, por pesquisadores na Hadassah Hebrew University Medical Center, em Jerusalém, Israel. Com os tratamentos atuais, muitos dos pacientes com transtorno de stress pós-traumático costumam alcançar apenas uma remissão parcial. O recurso à cannabis tem sido muitas vezes usado como terapia em pacientes resistentes aos tratamentos convencionais.

Este novo estudo avaliou a tolerância e segurança da toma oral de THC oral para a TEPT crónica. Dez pacientes sob medicação estável receberam 5 mg de THC, duas vezes por dia, como tratamento adicional. Houve efeitos alguns leves efeitos adversos em três pacientes, nenhum dos quais conduziram, porém, à descontinuação do tratamento. No geral, a intervenção causou uma melhoria estatisticamente significativa sobre a severidade global dos sintomas, qualidade do sono, frequência de pesadelos e sintomas de hiperexcitação.

Roitman P, Mechoulam R, Cooper-Kazaz R, Shalev A. Preliminary, Open-Label, Pilot Study of Add-On Oral ?(9)-Tetrahydrocannabinol in Chronic Post-Traumatic Stress Disorder. Clin Drug Investig. 2014 Jun 17. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Pacientes com cancro podem beneficiar do consumo de cannabis

O consumo de cannabis é percecionado como altamente efetivo por alguns pacientes em estado de doença avançado. Este foi o resultado da análise conduzida por pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, Israel, com base nos questionários e registos de pacientes adultos com cancro, tratados em uma única instituição. De um universo de, aproximadamente, 17.000 pacientes cancro atendidos nesta instituição, 279 receberam autorização para uso de cannabis por parte de um oncologista institucional, assim autorizado para tal.

Ao fim de um mês, dos 113 pacientes vivos que beneficiaram do tratamento experimental com cannabis, 69 (61%) responderam a um questionário detalhado: Melhora na dor, no bem-estar geral, no apetite e nas náuseas foram apreciadas como de 70%, 70%, 60% e 50%, respetivamente. Os efeitos colaterais foram leves e consistiam principalmente em fadiga e tontura.

Waissengrin B, Urban D, Leshem Y, Garty M, Wolf I. Patterns of Use of Medical Cannabis Among Israeli Cancer Patients: A Single Institution Experience. J Pain Symptom Manage. 2014 Jun 14. [na imprensa]

Ciência/Humanos: O extrato de CBD Epidiolex mostra-se eficaz em crianças com epilepsia resistente a tratamento

A companhia britânica GW Pharmaceuticals tem produzido um extrato de CBD, experimental, que apresenta resultados promissores num pequeno estudo conduzido junto de crianças com epilepsia difícil de tratar. As últimas descobertas sobre este novo produto – Epidiolex - foram obtidas após uma avaliação de 27 crianças e jovens adultos, com epilepsia resistente ao tratamento, que receberam a esta droga em dois hospitais Estado-Unidenses.

Epidiolex é tomado em xarope, com sabor morango-limão, duas vezes ao dia. Este medicamento não contém THC.

GW declarou, a 17 de junho, que os resultados após 12 semanas de terapia, no âmbito deste estudo aberto, foram "encorajadores” e que implicaram uma redução na frequência das crises de mais de 50 por cento. Planeia-se agora o início de um ensaio clínico de fase II/III na segunda metade do ano. O CBD poderá ajudar a crianças com síndromes de epilepsia grave, como Dravet e Lennox-Gastaut, onde as crises muitas vezes persistem apesar de altas doses de múltiplos fármacos anti epiléticos.

Reuters de 17 de Junho de 2014.

Ciência/Humanos: A predisposição genética à esquizofrenia está associada ao aumento do uso de cannabis.

Os genes que aumentam o risco de desenvolver esquizofrenia também podem aumentar a probabilidade de se recorrer ao uso de cannabis, de acordo com um novo estudo divulgado pelo King College London através da publicação Molecular Psychiatry. Estudos anteriores identificaram uma ligação entre o consumo de cannabis e a esquizofrenia, mas permanece incerto se o aumento da incidência destes casos está diretamente relacionado com o aumento do consumo de cannabis.

Estes novos resultados sugerem que parte desta associação se deve a genes comuns, mas não descarta uma relação causal entre uso de cannabis e risco de esquizofrenia. O estudo incluiu 2.082 indivíduos saudáveis, dos quais 1.011 tinham consumido cannabis. Foi medido o 'perfil de risco genético' de cada indivíduo - ou seja, o número de genes relacionados com esquizofrenia que cada indivíduo é portador. Os pesquisadores descobriram que as pessoas geneticamente predispostas à esquizofrenia eram mais propensas a usar cannabis e a usá-lo em quantidades maiores do que aqueles que não possuem genes de risco de esquizofrenia. O Dr. Robert Power, principal autor do estudo diz: "Sabemos que a cannabis aumenta o risco de esquizofrenia. Este nosso estudo certamente não exclui isso, mas sugere que é provável que também haja uma associação na outra direção... ou seja, que uma pré-disposição para esquizofrenia também aumenta a probabilidade de consumir de cannabis".

Power RA, Verweij KJ, Zuhair M, Montgomery GW, Henders AK, Heath AC, Madden PA, Medland SE, Wray NR, Martin NG. Genetic predisposition to schizophrenia associated with increased use of cannabis. Mol Psychiatry. 2014 Jun 24. [na imprensa]

Schizophrenia and cannabis use may share common genes

Notícias

Holanda: Masterclass em cannabis Medicinal, em 2014
Bedrocan está a aceitar inscrições para a Masterclass em Cannabis Medicinal de 2014: MC4 - Colmatar Lacunas num Mundo Florescente , 16 e 22 de Novembro, Leiden & Groningen, Holanda. Autoridades, de nível mundial, irão apresentar temas tais como: produção farmacêutica, química da planta de cannabis e sua genética, a canábis medicinal no âmbito dos regulamentos existentes para medicamentos, avaliações clínicas e muito mais. Esta Masterclass destina-se a um máximo de 20 participantes em ambiente intimista.

Information and registration

Ciência/Humanos: Fumar cannabis não aumenta o risco de cancro de pulmão
Em recensão, investigadores declaram encontrar apenas uma pequena evidência de um aumento de risco de cancro de pulmão entre os fumadores habituais ou consumidores a longo prazo de cannabis.
Lunenfeld-Tanenbaum Research Institute, Mount Sinai Hospital, Toronto, Canada.

Zhang LR, et al. Int J Cancer. 2014 Jun 20. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Um aumento da atividade do recetor CB1 tenta lutar contra a progressão da doença de Alzheimer
A atividade no CB1 foi alta nos estágios iniciais da progressão da doença de Alzheimer em certas áreas do cérebro (hipocampo, córtex frontal). Os pesquisadores escreveram que isso indica uma tentativa de compensar o prejuízo sináptico inicial, que é, porém, posteriormente superada pela progressão da doença. Estes resultados sugerem que a estimulação inicial do CB1 pode ter relevância terapêutica.
Departamento de Farmacologia da Faculdade de Medicina e Odontologia da Universidade do País Basco, Leioa, Espanha.

Manuel I, et al. J Alzheimers Dis. 2014 Jun 19. [na imprensa]

Ciência/Animais: A anandamida é útil em casos de lesão cerebral traumática
Uma substância designada PF3845, que reduz a degradação do endocannabinoide anandamida e, portanto, aumenta a sua concentração, promoveu a sobrevivência de células nervosas, a atenuação da inflamação e melhorou a recuperação de ratos com lesão cerebral traumática.
Universidade de Ciências da Saúde, Bethesda, EUA.

Tchantchou F, et al. Neuropharmacology. 2014 Jun 14. [na imprensa]

Ciência/Animais: O beta-cariofileno reduz ansiedade e depressão
O terpeno beta-cariofileno, que é predominante na cannabis, pimenta e outras especiarias, ativa o receptor CB2 e reduz a ansiedade e a depressão. Concluiu-se que os receptores CB2 podem fornecer alvos terapêuticos alternativos para o tratamento da ansiedade e da depressão, oferecendo perspectivas interessantes para estudos futuros.
Faculdade de Medicina e Ciências da Saúde, United Arab Emirates University, Al Ain, Emirados Árabes Unidos.

Bahi A, et al. Physiol Behav. 2014 Jun 13. [na imprensa]

Ciência/Animais: A ativação dos receptores CB2 reduz a translocação bacteriana
Um novo estudo em animais sugere que os canabinóides que ativam o receptor CB2 tem o potencial para tratar a translocação bacteriana através da inibição de stress oxidativo intestinal e citocinas inflamatórias na cirrose do fígado. A translocação bacteriana é a migração de bactérias ou produtos bacterianos do lúmen intestinal para os nódulos linfáticos. A translocação bacteriana é reconhecida por aumentar em casos de cirrose hepática.
Escola Universidade Nacional Yang-Ming de Medicina, Taiwan.

Yang YY, et al. J Hepatol. 2014 Jun 19. [na imprensa]

Ciência/Animais: os receptores CB1 estão envolvidos na respiração e na circulação
O primeiro estudo sistemático da função cardiovascular, em ratinhos sem recetores CB1, revelaram que os receptores CB1 estão envolvidos no controlo da respiração e da circulação. Protegem os ratos das consequências negativas de uma dieta rica em gordura. Por exemplo, a respiração durante a noite foi irregular em ratinhos sem receptores CB1, especialmente naqueles com uma dieta rica em gordura.
Departamento de Ciências Biomédicas e Neuromotoras, da Universidade de Bolonha, Itália.

Silvani A, et al. PLoS One. 2014 Jun 20;9(6):e100536.

Ciência/Humanos: Nenhum efeito causal na alteração do estatuto legal da cannabis associado à frequência do suicídio
Os pesquisadores não encontraram uma associação consistente entre o número de consumidores de cannabis inscritos nos estados norte-americanos e número de suicídios consumados.
Denver Health, Colorado, EUA.

Rylander M, et al. Am J Drug Alcohol Abuse. 2014 Jun 20:1-5. [na imprensa]

Ciência/Humanos: Sativex eficaz e seguro em prática clínica
Os pesquisadores descobriram que os dados colhidos no quotidiano confirmam a eficácia a longo prazo e a tolerabilidade do nabiximols [Sativex] para o tratamento de MSS resistente [espasticidade da esclerose múltipla] na prática clínica diária.
Neurological Rehabilitation Centre Quellenhof, Bad Wildbad, Alemanha.

Flachenecker P, et al. EUR Neurol 2014;72(1-2):95-102.

Relembrando o passado

Um ano atrás

Dois anos atrás

[Voltar à visão geral]  [Página da IACM]


up

Conferências

The Cannabinoid Conference 2017 of the IACM, 29-30 September 2017, Cologne, Alemanha.

IACM on Twitter

Follow us on twitter @IACM_Bulletin where you can send us inquiries and receive updates on research studies and news articles.